Acervo Familiar

Daniela Sallet conviveu com Giselda Castro e veio daí o desejo de realização o documentário Substantivo Feminino:

“A Carmen Crochemore, então colega de trabalho na TV Assembleia e que é nora de Giselda, me apresentou a ela. Acabei conhecendo de perto as realizações das duas ativistas e me apaixonando pela ideia de contar em um documentário o que foi feito.”

Todo o acervo da família Castro foi colocado à disposição para pesquisas. Desde manuscritos da época da fundação da Ação Democrática Feminina Gaúcha (ADFG), em 1964, até fotografias de família e objetos pessoais.

Anúncios

Conversa com Fabio Feldmann

Magda Renner e Giselda Castro entendiam que a questão ambiental era global e de responsabilidade de todos. Atuavam em questões locais, mas também atravessavam o país e o planeta para fortalecer os movimentos ambientais. Em São Paulo, conversamos com o ex-parlamentar Fabio Feldmann, o único deputado federal constituinte que tinha como bandeira as questões ambientais e ecológicas. Feldmann conviveu em muitos momentos com as ativistas gaúchas. Durante a elaboração da Constituição de 1988, contou com elas nos trabalhos da Frente Parlamentar para o Meio Ambiente.

“Eu me sentia sozinho, mas elas me reconfortavam porque eu sabia que a qualquer momento que precisasse era só dizer “preciso de vocês” e elas estavam lá no dia seguinte. Era um suporte moral pra mim muito grande naquela época.”

Gravações em São Paulo

Em São Paulo, foram gravados depoimentos para o documentário Substantivo Feminino. Um deles com Roberto Smeraldi, que conheceu Magda Renner e Giselda Castro em eventos internacionais de ecologistas. Hoje ele está à frente da ONG Amigos da Terra Amazônia Brasileira. Durante a Assembleia Nacional Constituinte, Smeraldi conviveu com as duas em Brasília e relembra a atuação incisiva das gaúchas:

“A presença mais regular, constante de cobrança era da Magda e da Giselda, que puxavam o paletó dos parlamentares, cobravam decisões da reunião anterior e ficavam lá, em cima.”

Na capital paulista, também foi captado o depoimento do professor Paulo Affonso Leme Machado, um dos maiores especialistas do país em Direito Ambiental e um referencial para o mundo todo nessa temática.

Gravações em Porto Alegre

Substantivo Feminino é realizado pela jornalista Daniela Sallet e sua produtora, Daniela Sallet Produções. O longa-metragem documental resgata a história de Giselda Castro e Magda Renner, mulheres de classe social privilegiada que dedicaram sua vida à ações de defesa do Meio Ambiente e da humanidade.

A maior parte das captações de depoimentos para o documentário foi realizada em Porto Alegre, cidade das biografadas. Na capital gaúcha, foram entrevistados antigas colegas da Ação Democrática Feminina Gaúcha (ADFG), parceiros de militância ambiental e políticos que conheceram de perto a determinação e a combatividade de Magda e Giselda. As locações foram Parque da Redenção, Parcão, Jardim Botânico e Assembleia Legislativa, lugares significativos na luta das duas ativistas.